hipnose ericksoniana

O que é Hipnose Ericksoniana, e como você pode praticá-la?

Quem já estuda hipnose há algum tempo deve saber que existem algumas linhas de pensamento diferentes, e a Hipnose Ericksoniana é um dos maiores marcos nessa divisão.

Quem já estuda hipnose há algum tempo deve saber que existem algumas linhas de pensamento diferentes, e a Hipnose Ericksoniana é um dos maiores marcos nessa divisão. Ela quebrou alguns mitos sobre terapia com as ferramentas hipnóticas, e ajudou a trazer mais pessoas para essa prática.

O que é Hipnose Ericksoniana?

Hipnose Ericksoniana é o modelo que teve início com o trabalho de Milton Erickson, psiquiatra que desenvolveu uma abordagem onde a hipnose é feita com o cliente em estado consciente.

Até então, os conhecimentos sobre Hipnose eram quase todos ligados à teoria Clássica, visão na qual a Hipnose ainda é um sinônimo de transe, e apenas algumas pessoas podem ser hipnotizadas. Erickson defendeu e provou uma realidade oposta, mostrando que qualquer pessoa pode hipnotizar ou ser hipnotizada.

Para isso, não é preciso levar a pessoa para um estado de transe, sono ou relaxamento, pois a mente humana é capaz de se transformar em situações cotidianas, como ao assistir um filme ou ter uma conversa interessante, por exemplo.

Nesses momentos, você recebe estímulos emocionais e começa a ver o mundo de outra forma. Talvez concorde com a mensagem do filme ou a opinião do seu amigo, e talvez discorde, construindo novos argumentos para reforçar a sua própria percepção.

Após Erickson, muitos terapeutas trouxeram suas ideias para esse modo de ver a hipnose. Um exemplo disso é a Hipnose Transformacional, praticada aqui no Instituto Romanni. Nós utilizamos e ensinamos conceitos da Hipnose Ericksoniana, assim como da Hipnose Clássica, Psicologia Clínica, e outros campos do desenvolvimento humano.

Para que serve a Hipnose Ericksoniana?

A Hipnose Ericksoniana tem várias aplicações, a começar pelo atendimento terapêutico. Por meio dela, é possível aumentar as chances de ter suas sugestões entendidas e cumpridas pelos clientes. Será mais fácil ajudar as pessoas a seguir uma rotina de estudos, uma dieta ou um programa de treinamentos, por exemplo, bem como ressignificar traumas e fazer as pazes com o passado.

Mesmo se você não for terapeuta, sabe que conselhos muito “diretos” raramente são bem aceitos. Todos nós temos uma espécie de bloqueio, que é ativado quando sentimos que alguém está tentando controlar a nossa vida - mesmo que seja apenas utilizando palavras.

A Hipnose Ericksoniana permite saltar ou desviar desse bloqueio, por usar uma linguagem que realmente é vista como sugestão, e não como ordem, por quem está do outro lado. Essa linguagem pode gerar mais compromisso no cliente que tem comunicações opostas, aquela pessoa que deseja um resultado melhor, mas ainda não está completamente decidida a construí-lo.

Ela também é uma ferramenta de empoderamento pessoal.

Cada pessoa está o tempo todo “conversando” consigo mesma através dos pensamentos. Podemos dizer que num lado dessa conversa está o seu passado, com as crenças e ideias que aprendeu ao longo da vida, e do outro está o seu presente, com as coisas que vem aprendendo agora.

Utilizando os princípios da Hipnose Ericksoniana, você pode fazer com que essa “segunda versão” seja mais persuasiva, e convença seu eu do passado a deixar hábitos negativos, superar uma crença limitante ou dar aquele passo que sempre desejou, por exemplo.

Elementos para dominar a Hipnose Ericksoniana

Agora nós vamos conhecer alguns elementos com os quais a Hipnose Ericksoniana se preocupa, e como podemos ter mais domínio sobre cada um para nos tornarmos comunicadores de alto nível!

Espelhamento

Cada pessoa tem uma habilidade natural para entender e simular o comportamento das demais. É assim que aprendemos a andar, falar, comer e nos relacionar, espelhando as ações de outras pessoas.

O espelhamento é uma grande fonte de conexão entre os seres humanos, pois em toda relação, ou até numa conversa casual, ao mesmo tempo em que você “imita” a outra pessoa, ela faz isso com você. Perceba como alguns casais parecem ter o mesmo jeito de se mover, por exemplo, ou como amigos de lugares diferentes se comunicam numa linguagem que tem gírias e expressões das duas partes.

Nós podemos usar o espelhamento na Hipnose Ericksoniana por meio de um processo conhecido como acompanhar para conduzir. Primeiro você vai entrar no mundo da outra pessoa, de modo natural e suave, sem parecer uma imitação forçada, e depois vai conduzi-la na direção desejada.

Isso é útil quando um cliente está com a fisiologia fechada, ou usa muitas palavras negativas para se referir a si mesmo, por exemplo. Ao invés de questionar, e colocar o cliente na defensiva, você pode ir buscá-lo no estado emocional em que ele se encontra.

De um modo mais geral, o espelhamento também aumenta a confiança e facilita a transmissão das sugestões, porque num nível inconsciente a outra pessoa estará sentindo que você se parece com ela, e portanto merece um pouco mais de atenção.

História

Uma boa história é a melhor forma de transmitir ideias, e essa ferramenta vem sendo utilizada há milhares de anos por todas as religiões e filosofias que alcançaram um grande número de pessoas. Pense na Bíblia, por exemplo. Com histórias como as de Jesus, Maria, Moisés ou Pedro, seus erros e acertos, ela orienta ações que vêm sendo praticadas há mais de 2.000 anos!

Nada impede que você entregue a sua comunicação de modo direto, sem usar as histórias, mas não podemos ignorar o poder dessa ferramenta para atingir o coração das pessoas.

As histórias nos permitem influenciar sem questionamentos. Se eu falar que é preciso perdoar, talvez você até concorde comigo, mas pode ter dúvidas e respostas sobre isso. Se eu contar uma história na qual perdoei alguém, e me senti melhor, você só pode ouvir.

Essa facilidade para aceitar as histórias acontecem porque nós entendemos que quem está contando sabe mais do que quem está ouvindo, afinal essa pessoa viveu a situação. A boa notícia é que não precisamos inventar muito. A sua própria vida é uma fonte de histórias, afinal cada um dos seus aprendizados envolveu pessoas, lugares e acontecimentos - basta saber como contar.

Voz Hipnótica

A Voz Hipnótica é a capacidade de utilizar as habilidades não-verbais para conduzir ao estado emocional desejado, reforçando ou até mesmo dispensando as sugestões. Se você fala de modo relaxante, por exemplo, pode fazer a outra pessoa ficar mais tranquila, mesmo sem pedir isso para ela.

A Voz Hipnótica é uma ferramenta útil por dois motivos:

→ Ela intensifica o poder da indução a um novo estado emocional, porque age o tempo inteiro sem que você precise repetir a sugestão várias vezes;

→ Ela fortalece a sua conexão com a outra pessoa, pois cada vez que você dá uma sugestão verbal corre o risco de lançar dúvidas ou pensamentos aleatórios na mente dela.

Muitas habilidades utilizadas na Voz Hipnótica são estudadas por um campo chamado de paralinguagem, ou vocálica, e elas podem transmitir emoções, ao ponto de mudar o significado das suas palavras.

Se alguém diz “obrigado” de forma rápida e constante, podemos entender como um agradecimento, mas se a pessoa fala “obrigado” um pouco mais devagar e intensificando o “a” (obrigAdo), ela pode estar sendo irônica.

Os elementos da fala mais usados para transmitir ou identificar emoções sem depender das palavras são os seguintes: tom, volume, timbre, velocidade de fala e pausas.

Durante uma conversa, a mudança de voz deve ser aplicada de modo gradual, aos poucos, ou a outra pessoa vai se perguntar porque você começou a falar de forma diferente. Pense na Voz Hipnótica como na inclinação que leva da praia ao oceano, sendo descida um passo de cada vez até formar uma conexão profunda com a mente da outra pessoa!

Fala Hipnótica

Enquanto a Voz Hipnótica é o uso da linguagem não-verbal, a Fala Hipnótica está ligada às palavras e outros símbolos da nossa comunicação, com o objetivo de fazer as nossas sugestões serem bem recebidas.

Yes Setting

Isso começa pela construção de uma mentalidade positiva e aberta, ou Yes Setting. Quando você diz algo que é uma verdade conhecida, faz a outra pessoa entrar nesse estado de concordância, e fica mais fácil fazer ela concordar também com uma sugestão ou opinião que venha em seguida.

Perguntas

Outra forma de gerar esse resultado é fazer perguntas como “Está acompanhando o que eu disse? Entendeu até aqui? Você concorda com isso?”. A pessoa vai dar uma resposta positiva, aprofundando o Yes Setting, ou falar que não, e oferecer uma nova chance para você se conectar.

Sugestões Indiretas

A Hipnose Ericksoniana também investe muito nas sugestões indiretas, transmitindo as informações como possibilidades ao invés de ordem. Ao invés de falar “pense no seu aniversário”, por exemplo, você diria algo como “pense num dia feliz, talvez o seu aniversário, talvez o dia em que foi bem naquela prova difícil...”.

Milton Erickson percebeu que, se você dá uma sugestão direta e a pessoa não aceita, a conexão é perdida e fica muito mais fácil recuperar. Imagine o que ocorre quando você diz “lembre do seu aniversário” esperando um momento feliz, mas ela pensa num dia triste, por exemplo.

Terapeutas no atendimento, líderes conduzindo suas equipe e pais ensinando os filhos podem fazer dezenas de sugestões a cada dia, então é quase impossível ter uma resposta positiva em todas elas.

Quando você deixa um espaço para a pessoa preencher, sugerindo algo como “pense num dia assim, talvez esse, talvez aquele...” ela pode rejeitar as suas opções, mas ainda vai buscar um momento que se encaixe no pedido.

Suavizadores

Os suavizadores são padrões de palavras que facilitam a aceitação das suas sugestões, favorecendo a conexão com a mente da outra pessoa. Existem dezenas (talvez centenas) de padrões com essa função, e você pode incluí-los aos poucos na sua comunicação.

Alguns exemplos são:

Quanto mais você respira, mais relaxa.

Esse formato de “quanto mais, mais” fortalece uma sugestão, sem ter que repetir a mensagem o tempo inteiro - e se você acompanha o Movimento Transformacional, já deve ter visto o Romanni usando ela em sessões de hipnose!

O que você quer fazer primeiro, uma sessão de regressão ou uma ponte para o futuro?

Perguntar dessa forma diz que as duas coisas precisam acontecer, evitando questionamentos, enquanto faz a pessoa se sentir no controle por escolher qual virá primeiro.

Felizmente, obviamente, infelizmente... indicam que uma verdade será dita, e aumentam as chances da pessoa concordar. Profundamente, altamente, extremamente... tem efeito semelhante. Use esses termos com moderação, pois muitos deles em conjunto podem quebrar a conexão.

Você pode me entender, não pode?

Quando falamos que a pessoa pode fazer algo, talvez ela comece a pensar em justificativas para não poder, e fechar esse padrão com a pergunta “não pode?” cria uma segunda chance, um momento para ela convencer a si mesma de que é capaz.

Imagine, perceba, sinta, escute, veja, lembre... são formas de usar os sentidos e a percepção dentro da hipnose, fazendo a pessoa se conectar melhor com os estímulos que você está sugerindo.

Eu não preciso dizer para você usar os suavizadores, porque você já sabe o quanto eles são importantes.

Essa é uma forma “hipnótica” de falar algo simples: use os suavizadores. O “não preciso dizer” deixa a outra pessoa mais disposta a ouvir, pois é como se eu não estivesse mais tentando convencê-la, e o “porque” entrega a sugestão como uma verdade.

Você pode usar esse padrão nas suas vendas, “eu não preciso dizer para você fechar a terapia, porque você já viu que ela pode transformar sua vida” ou num aconselhamento do tipo “eu não preciso dizer para você estudar mais, porque você já sabe que precisa disso”, por exemplo.

Ao usar estes ou outros exemplos de suavizadores, é preciso considerar a importância do Yes Setting. Se a pessoa está desconectada, ou em conflito com você, as sugestões e técnicas podem ser respondidas por um esforço oposto - ela estará conscientemente agindo para rejeitar o que você diz!

Além disso, tenha em mente que não existem palavras mágicas. Podemos usar padrões facilitadores para a conexão, mas nenhum vai funcionar em todos os casos ou com todas as pessoas! Na Hipnose Ericksoniana, os fundamentos e conceitos importam mais do que as “palavras mágicas”.

Isso significa que não existe um script infalível, capaz de funcionar em todas as situações. Ao invés disso, temos de compreender a outra pessoa, e o contexto no qual a conversa acontece, para identificar a mensagem ideal.

Quem faz parte do Movimento Transformacional já conhece a Metodologia ESCC, e ela tem tudo a ver com a Hipnose Ericksoniana. Essa metodologia trabalha com quatro elementos para garantir que a nossa comunicação seja entendida e aceita:

Emissor

O emissor é quem transmite a mensagem. A sua forma de falar, suas roupas, o ambiente e a sua imagem (É uma autoridade? Um brincalhão? Um amigo preocupado? Um desconhecido?) criam uma ideia na mente da outra pessoa, e essa ideia influencia a comunicação.

Pense nessa influência como num óculos colorido. Se a lente é azul, você vê mais azul, e se é vermelha, você vê mais vermelho. A comunicação emitida pelo mundo, através de luzes e cores, é sempre a mesma, mas a sua percepção pode variar, assim como ocorre em relação ao emissor.

Sujeito

Cada pessoa é única, e responderá de forma única às suas comunicações. Você deve levar isso em consideração, adaptando seu conteúdo ao ser humano com quem está lidando.

Se o cliente (ou qualquer outra pessoa com quem você está lidando) é um aprendiz atento, as chances de mudar sua mente com uma boa ideia são maiores do que se ele for um “senhor da razão”, por exemplo.

Perceba também como você fala com seus pais ou seu chefe, e como fala com um amigo próximo. A comunicação sempre muda para se adequar, e esse comportamento é indispensável para a Hipnose Ericksoniana. Por esse motivo, o processo terapêutico começa numa avaliação sobre o que o cliente pensa de si e do mundo, quais seus valores e personalidade.

Contexto

Se você encontra um médico no consultório, ou no bar, a situação terá completa influência no modo como a mensagem dele será recebida. Isso é o contexto em ação, e cada mensagem deve fazer sentido de acordo com a situação.

Como estamos falando de processo terapêutico, o contexto será quase sempre uma relação cliente - terapeuta. No entanto, ela é diferente a cada momento! Se você acabou de levar o cliente numa imersão por experiências traumáticas e desafiadoras de sua vida, temos um contexto. Se ajudou ele a visualizar um futuro ideal, temos outro.

A mesma mensagem será interpretada de formas completamente opostas em cada um, e por isso é fundamental estar atento ao contexto atual - ou o que poderíamos chamar de “clima” da sessão.

Comunicação

Por fim, temos a mensagem de fato. Perceba como existem vários elementos que preparam o terreno para ela chegar, e se não cuidarmos deles, a nossa mensagem cairá com uma semente em terras secas.

A comunicação corresponde ao que realmente foi enviado do emissor para o sujeito: suas palavras, seus gestos, olhares, tom de voz, e assim por diante. Por meio da Hipnose Ericksoniana, podemos controlar melhor todos esses fatores, e obter o efeito desejado com a nossa comunicação!

Saiba mais:

Tipos de Hipnose: O seu guia completo

O que é hipnoterapia, e como ela funciona?

Terapia com familiares: É possível? Como fazer?

Artigo publicado em:
15/06/2022
foto romanni

Romanni Souza

Criador da Hipnose Transformacional, graduado em psicologia pelo Unipam, e pós graduado em neurociências pela PUCRS. Fundador do Instituto Romanni, com mais de 20 mil pessoas transformadas.

Siga-nos nas redes sociais

instagram bar
icone atendente
Fale conosco
(34) 8416-2218
Siga o Instituto Romanni nas Redes Sociais
ASSINE AGORA +
Romanni SouzaTermos de UsoPolitica de Privacidade
© Copyright 2021. Todos os direitos reservados. | Instituto Romanni. CNPJ: 23.476.391/0001-10