como lidar com o fim de um relacionamento

Como lidar com o fim de um relacionamento?

Saiba que você pode aprender como lidar com o fim de um relacionamento. É possível reencontrar a felicidade e o amor por si próprio, bem como construir novas relações independentes da que acabou, e é sobre isso que nós vamos falar.

A grande maioria das pessoas já se deparou com questões sobre como lidar com o fim de um relacionamento. Atravessar essa fase é realmente um desafio, afinal uma parte da nossa vida esteve ligada à outra pessoa por meses ou anos.

A dificuldade para dar um “ponto final” à relação costuma ter duas faces.

Numa delas, acontecem as recaídas, o casal reata e algum tempo depois vai chegar à mesma situação que causou o término. Pode ser um caso de amor, onde os dois simplesmente não conseguem se acertar, ou uma dependência emocional fazendo a vida parecer sem sentido longe da relação.

Na outra, o término é definitivo, mas as coisas não vão para a frente a partir dali. A pessoa terá problemas para começar outras relações, pode se afastar da família, perder o ritmo no trabalho e até desenvolver algum tipo de transtorno psicológico. É como se parte da sua identidade tivesse ido embora com a outra pessoa, e você já não soubesse mais quem é.

Independente do caso, saiba que você pode aprender como lidar com o fim de um relacionamento. É possível reencontrar a felicidade e o amor por si próprio, bem como construir novas relações independentes da que acabou, e é sobre isso que nós vamos falar.

Porque chegamos ao fim?

Antes de mais nada, é necessário entender que se tomamos a decisão de um término, é porque já não nos sentimos confortáveis com a relação. O que está em jogo na hora do fim é o próprio bem-estar emocional.

Reconhecer quando o relacionamento não vai bem é essencial para a tomada de decisão, e quando essa questão não está definida precisamente, acaba facilitando as possíveis recaídas.

Terminar um relacionamento requer pessoas convictas do que querem para si, capazes de dizer “não” para a relação e “sim” para si mesmas. Mesmo que a decisão venha de apenas um lado, ela não é egoísta, afinal a pessoa que termina está agindo de modo honesto e respeitoso com essa escolha, ao invés de arrastar uma relação com a qual ela não vai se comprometer.

O contrário possibilita o ciclo vicioso de um relacionamento fracassado, onde não há responsabilidade afetiva de uma ou de ambas as partes, o desrespeito se instaura e os sentimentos negativos são vivenciados de maneira conflituosa.

É claro que nem toda relação é igual, cada uma possui as suas particularidades. Existem pares que possuem dificuldades em se relacionar um com o outro - eles querem continuar juntos, mas não sabem como, e podem se beneficiar da terapia de casal para que as coisas melhorem.

Esse, no entanto, é um outro caso. O que estamos avaliando aqui são as histórias onde a decisão pelo término já foi tomada, e os caminhos para lidar com ela.

Porque é difícil lidar com o fim de um relacionamento

Lidar com o fim de um relacionamento é quase sempre uma experiência negativa, mesmo quando o momento ocorre sem conflitos. Isso é normal, e se deve ao fato de que muitas vezes não queremos nos desvincular da pessoa que acreditamos amar, ou dos benefícios emocionais que encontramos na relação.

O sofrimento causado pelo término traz as perspectivas de apego, dependência e medo da solidão. Quando entramos num relacionamento amoroso, nos tornamos de certa forma dependentes daquele sentimento, bem como das vivências e trocas com a outra pessoa. 

Todo relacionamento conturbado possui seus aspectos positivos, mesmo que não estejam claros na hora do fim. Essas lembranças dos momentos de bem-estar servem como armadilha para impedir que o término seja efetivamente realizado, e em momentos de carência e adaptação, essas memórias ficam mais evidentes.

Em poucas palavras, a mente engrandece aquilo que lhe falta. Algumas pessoas, durante uma relação, pensam na liberdade que tinham ao estar solteiras, e quando terminam, pensam na segurança que tinham ao estar com alguém.

O medo da solidão também é uma grande justificativa para permanecer em relacionamentos fracassados. De fato dependemos de alguém desde o nosso nascimento, e buscamos suprir o nosso vazio nos relacionando. Por mais que essa busca seja característica do ser humano, ela deve ser feita com cuidado para não deixarmos a nossa felicidade nas mãos de alguém.

Quando há o rompimento, é necessário lidar com as memórias afetivas que estão envolvidas nesse processo, uma vez que não é possível se desvincular do passado num passe de mágica.

São essas memórias que levam à insistência e ao arrependimento, e quando elas vêm acompanhadas pelo sentimento de que o outro seguirá a vida, conhecerá novas pessoas e terá novas experiências, pensar no passado se torna ainda mais frustrante.

Felizmente essa não é a única maneira para lidar com o fim de um relacionamento. A situação dependerá de muitos fatores, a começar pela sua autoestima. Pessoas que estabelecem limites para o seu próprio bem, compreendem os lugares que desejam estar e colocam-se como prioridade podem sofrer com o fim da relação, mas logo estarão criando uma nova vida.

Como lidar com o fim de um relacionamento

A forma como lidamos com o fim de um relacionamento depende de muitas coisas, incluindo o motivo do término. É importante ter em mente que relações chegam ao fim porque já não é viável conviver com a pessoa ao lado - estamos em constante mudanças e cortar vínculos com alguém faz parte. 

Nesses momentos é interessante buscar apoio familiar, se reconectar consigo mesmo ou focar em outros projetos da vida, sem a busca imediata de uma nova relação para preencher o espaço deixado. Descubra quem você é agora, e como gostaria que fosse o seu próximo relacionamento, o que tem para dar e o que espera receber.

Procure também avaliar a relação anterior, o que levou ao término, como você poderia ter agido de forma diferente ou o que te incomodava na outra pessoa. Identifique os valores que estavam em conflito - talvez você quisesse mais tempo com a outra pessoa, ou mais espaço para buscar seus objetivos, e ela desejava o oposto, por exemplo.

Essa é uma oportunidade para se conhecer melhor, e ainda aumenta as chances de ter boas relações no futuro, esclarecendo esses aspectos logo de início. Se perceber que as novas pessoas não compartilham valores importantes para você, talvez seja melhor focar numa amizade do que partir para algo mais íntimo.

Busque sempre o autocuidado e foque no seu desenvolvimento pessoal - construa hábitos saudáveis através de atividades físicas e uma boa alimentação, durma bem e faça algo que você goste, evitando passar o dia inteiro remoendo o término ou a relação.

Se você já terminou o relacionamento há algum tempo, e sente que ainda não conseguiu ter uma vida normal, a terapia é uma boa opção. Ela vai permitir identificar quais emoções estão bloqueando o seu avanço, e apresentar caminhos para lidar com elas de uma forma saudável.

Pense na terapia como um espelho mais profundo, onde será possível descobrir partes de si mesmo que os seus olhos ainda não estão enxergando. Outra opção é por meio da autoterapia, construindo internamente as ferramentas emocionais para se conhecer e se cuidar.

Tenha sempre em mente que o fim de uma relação é um momento difícil, mas não é algo impossível de superar. Aceite o tempo necessário para lidar com o seu mundo interno, preparando-se para uma nova vida e as possibilidades que ela trará!

Artigo publicado em:
23/05/2022
foto romanni

Romanni Souza

Criador da Hipnose Transformacional, graduado em psicologia pelo Unipam, e pós graduado em neurociências pela PUCRS. Fundador do Instituto Romanni, com mais de 20 mil pessoas transformadas.

Siga-nos nas redes sociais

instagram bar
icone atendente
Fale conosco
(34) 8416-2218
Siga o Instituto Romanni nas Redes Sociais
ASSINE AGORA +
Romanni SouzaTermos de UsoPolitica de Privacidade
© Copyright 2021. Todos os direitos reservados. | Instituto Romanni. CNPJ: 23.476.391/0001-10