educacao financeira para criancas

Educação financeira para crianças: Por que importa e como fazer?

A educação financeira para crianças ainda é um assunto pouco explorado - apenas 21% dos adultos teve algum contato com o tema antes dos 12 anos. Mesmo entre esse grupo, nem a metade fala sobre dinheiro com os próprios filhos.

O número de pessoas que estão com o “nome sujo” no Brasil é estimado pelo Serasa em 62 milhões de pessoas. Ou seja, quase um terço dos brasileiros encontram-se no negativo com as suas dívidas. Esse fato, sozinho, já nos mostra o quanto é importante falar sobre educação financeira.

A maioria das pessoas nunca teve um contato profundo com esse tema, que poderia ser ensinado desde muito cedo. A educação financeira para crianças é o caminho para isso, e pode fazer com que o número diminua no futuro, além de impedir que seus filhos ou alunos façam parte da estatística.

Fatores como desemprego e diminuição de renda são um risco na vida de qualquer pessoa, e contribuem para as dívidas ou apertos financeiros. A maioria das pessoas não se prepara para evitar essa situação - e até contribui para ela acontecer, gastando sempre um pouco a mais do que recebe e contando com o crédito para fechar as contas de cada mês.

A educação financeira para crianças ainda é um assunto pouco explorado - segundo o IBOPE, apenas 21% dos adultos teve algum contato com o tema antes dos 12 anos. Mesmo entre esse grupo, nem a metade fala sobre dinheiro com os próprios filhos.

O ambiente escolar, a passos lentos, tem se movido para assumir o papel. A partir de 2020, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) tornou a educação financeira obrigatória nas escolas, tendo como um dos objetivos conscientizar os jovens sobre a importância de lidar com as finanças de forma consciente e responsável, bem como levar o debate para as famílias.

Mas na prática, como pais e professores podem levar o tema para as crianças ao seu redor? Já que um número tão grande de pessoas nunca teve contato com a educação financeira na própria infância, talvez seja preciso começar entendendo melhor sobre ela.

O que é educação financeira?

Podemos falar de forma objetiva que educação financeira diz respeito a todos os aspectos  envolvendo o dinheiro, o seu funcionamento e como ter uma vida financeira equilibrada.

Entender sobre juros, investimentos, inflação e outros fatores básicos da economia podem ajudar muito na hora de tomar decisões que façam o seu dinheiro se esticar um pouco mais e ficar no negativo. O conhecimento nos dá autonomia para viver com liberdade financeira.

Para quem está começando, dois conceitos básicos precisam ser esclarecidos: poupar e investir.

Poupar é a base de qualquer projeto financeiro, e diz respeito a guardar uma parte do seu dinheiro atual para conseguir algo no futuro. O maior erro aqui é esperar o mês inteiro para poupar no final: você acaba gastando tudo que tem, e nem sabe como. Trace um plano para poupar assim que receber o salário. Pode ser um valor mínimo, 30 ou 50 reais, mas ele deve ficar reservado antes de qualquer despesa ser paga.

Investir, por sua vez, é fazer o dinheiro crescer. Você não precisa entender de ações ou riscos para isso, pois existem investimentos seguros e simples. Como esse não é o tema do artigo, vou deixar uma indicação para você pesquisar sobre renda fixa, e começar por aí.

Por que ensinar educação financeira para crianças?

Crianças estão sempre construindo uma visão de mundo, de acordo com o que outras pessoas falam e fazem. Isso significa que a educação financeira para crianças tem grandes chances de ser levada para a vida adulta, ajudando essa pessoa a começar na direção certa e evitar os erros que levam ao endividamento.

A maioria das pessoas tem um único ensinamento com relação às finanças: comprar. Elas crescem entendendo que o dinheiro serve para comprar coisas, e ninguém fala sobre guardar ou investir.

Quando começam a receber um salário, elas compram; e quando acreditam que o salário é estável, se endividam (empréstimos, financiamentos, cartões de crédito). Quando ocorre algo fora dos planos - demissão, adoecimento, algo em casa quebra, um filho chega - tudo sai do controle, e elas vão parar nas estatísticas.

Pense nas ideias que você tem sobre dinheiro - é provável que a maioria delas tenha sido formada muito cedo, e se você tivesse contato com ideias diferentes, talvez pensasse de outras formas hoje em dia - é daí que vem a importância da educação financeira para crianças!

Dicas para ensinar educação financeira às crianças

A primeira dica para oferecer uma boa educação financeira na infância é que os pais se eduquem, pois sendo eles a referência das crianças, antes mesmo de começar o processo de educação formal, estarão sempre dando exemplos através das falas e atitudes com relação ao dinheiro.

Outro dica é que os responsáveis busquem escolas comprometidas com a educação financeira para crianças. Também é possível optar por cursos sobre o tema, e até mesmo materiais que estão disponíveis na internet e usam recursos pedagógicos para manter a atenção da criança.

Na mesma linha, podemos usar jogos lúdicos, tendo em vista que maneiras de brincar e ensinar ao mesmo tempo. Histórias, teatros, e jogos de tabuleiro são alguns meios para ganhar a atenção das crianças e ensinar algo sobre dinheiro!

Uma dica prática é dar uma mesada para a criança. Ao fazer isso vamos incentivar que ela possa usar ou poupar o dinheiro conforme as suas necessidades. É óbvio que a mesada será de acordo com a sua possibilidade, mas mesmo que sejam 5 reais, o contato real com o dinheiro já estará ensinando algo.

Por fim, faça a criança ajudar no planejamento financeiro da família. Essa atitude irá ensinar a importância do planejamento e o custo de cada coisa. Ela vai entender que a mesada pode comprar muitas coisas na infância, mas para enfrentar a vida adulta será preciso jogar em outro nível, e com essa mentalidade irá evitar erros quando tiver a própria renda!

Conclusão

A educação financeira para crianças é ideal para aprender, desde cedo, a poupar e investir os seus recursos. Através dela vamos preparar as crianças para alguns dos aspectos mais essenciais na vida adulta, como lidar com imprevistos ou conquistar seus desejos.

Para isso, podemos usar de vários recursos, de jogos a cursos, além de cobrar que a escola cumpra com as normas da área; mas nunca esquecendo que a primeira referência das crianças é a família. Sendo assim, é essencial que os responsáveis pela criança sejam ativos no próprio trabalho de educação financeira, bem como no das crianças.

Artigo publicado em:
25/04/2022
foto romanni

Romanni Souza

Criador da Hipnose Transformacional, graduado em psicologia pelo Unipam, e pós graduado em neurociências pela PUCRS. Fundador do Instituto Romanni, com mais de 20 mil pessoas transformadas.

Siga-nos nas redes sociais

instagram bar
icone atendente
Fale conosco
(34) 8416-2218
Siga o Instituto Romanni nas Redes Sociais
ASSINE AGORA +
Romanni SouzaTermos de UsoPolitica de Privacidade
© Copyright 2021. Todos os direitos reservados. | Instituto Romanni. CNPJ: 23.476.391/0001-10