As verdadeiras causas da depressão

Ainda existem muitas dúvidas e mitos sobre as causas da depressão, e por isso as pessoas demoram ou até mesmo se negam a procurar ajuda quando precisam.

Nesse artigo vamos discutir as principais causas da depressão, e como cada uma pode contribuir para agravar o problema, além de abordar os possíveis tratamentos para a depressão, com foco na Hipnose Transformacional.

O que é a depressão?

Os principais enganos sobre a depressão estão ligados ao que ela realmente é. Muitas pessoas acreditam que se trate de uma tristeza que “vai passar” em breve e outras confundem os sinais de depressão com falta de vontade ou um simples desânimo.

Mais do que isso, a depressão é um transtorno que deve ser diagnosticado por profissionais como psicólogos, psiquiatras ou neurologistas, com sintomas que podem afetar as mais diversas áreas da vida.

Na Hipnose Transformacional, e em alguns outros modelos de terapia, nós não realizamos esse diagnóstico, mas oferecemos um conjunto de ferramentas para lidar com a questão, que já ajudou milhares de pessoas diagnosticadas.

Nós podemos fazer uma comparação entre a tristeza e a depressão com a dor de cabeça e a enxaqueca - enquanto uma delas vem e vai, durando pouco tempo e podendo até ser resolvida de formas simples, a outra é persistente e não vai desaparecer por conta própria.

Os sintomas de depressão mais comuns são:

  • Alterações no sono
  • Dormir mais que o normal
  • Sonolência no meio do dia
  • Insônia
  • Alterações de apetite
  • Comer demais
  • Perder a fome
  • Alterações de humor
  • Falta de perspectiva em relação ao futuro
  • Isolamento ou distanciamento do mundo
  • Culpa excessiva

Além dos sintomas aparentes no comportamento, ela também envolve alterações silenciosas na químicas no cérebro, com mudanças nos níveis de alguns neurotransmissores - substâncias associadas com as mais diversas funções do nosso pensamento.

As causas da depressão

Basicamente, existem dois fatores constantemente apontados como causas da depressão; um deles é a genética, e outro é o que podemos chamar de ambiente emocional.

Fator genético

Em relação à genética, existem diversos estudos relatando uma correlação entre pais e filhos depressivos. Essa relação, no entanto, não é determinante: existem pessoas depressivas cujos pais nunca apresentaram indícios do transtorno, e vice-versa.

A maior parte dos pesquisadores e especialistas na área concorda que exista uma predisposição, da mesma forma que acontece com pessoas cujos familiares possuem doenças cardíacas, por exemplo.

Isso significa que as chances são maiores, e é preciso ter mais cuidado, mas ninguém está “destinado” a ter depressão por conta do fator genético.

Inclusive, há quem questione essa relação, já que a convivência com pais; e até mesmo cuidadores não-sanguíneos que apresentam o problema; também é um fator de risco que pode causar depressão, como veremos adiante.

Ambiente emocional

O acúmulo de experiências traumáticas e estressantes na infância pode aumentar em quase cinco vezes as chances de que alguém apresente sintomas de depressão, e por conta disso, é impossível descartar o fator ambiental como uma das suas causas.

Em primeiro lugar, a convivência com familiares e/ou outros cuidadores depressivos aumenta as chances de que uma criança seja exposta a fatores de risco: violência doméstica, consumo de drogas, instabilidade financeira, adoecimento familiar, e assim por diante.

Mesmo na vida adulta, situações como desemprego, violência e doenças também costumam ser vistas como causas da depressão.

O que tem chamado atenção de quem estuda o assunto, no entanto, é que em muitas pessoas apresentam depressão mesmo sem a ocorrência de um evento notavelmente traumático. A raiz do problema, nesses casos, parece estar em acontecimentos mais simples, que ganham dimensões exageradas.

Uma bronca dos pais sobre notas ruins, por exemplo, pode fazer com que as pessoas definam seu próprio valor pelos resultados que obtém nos estudos ou trabalho. A partir daí, é possível que se sair mal numa única prova de vestibular ou entrevista de emprego seja o gatilho para a depressão.

É por este motivo que estamos falando em ambiente emocional. O que importa não é apenas o acontecimento ou a situação, é importante considerar também as emoções que lhes são atribuídas.

Um fator de risco como gravidez precoce, consumo excessivo de drogas ou envolvimento em acidentes, embora aumente as chances, não é necessariamente uma causa da depressão - visto que muitas pessoas conseguem se recuperar e levar sua vida adiante com saúde, mesmo nestes casos.

Para ajudar as pessoas usando a Hipnose Transformacional, consideramos importante compreender o cenário por completo: ambiente, história de vida, eventos ocorridos e a interpretação emocional dos mesmos.

Como a Hipnose Transformacional lida com a depressão

Pensando na relação entre genética, os eventos que marcaram a história de uma pessoa, e a forma como ela dá significado aos mesmos, o método da Hipnose Transformacional foca neste último fator para lidar com a depressão.

Não podemos mudar a genética com a qual nascemos, ou os acontecimentos ao longo da nossa vida, mas é possível reconfigurar as emoções e pensamentos que eles despertam, fazendo com que lembranças disparadoras da depressão percam esse efeito.

O primeiro passo é compreender como funcionam esses mecanismos. As pessoas deprimidas não costumam ficar mal 24 horas por dia; elas possuem alguns bons momentos, até que algo - uma memória ou situação - traz seus sintomas à tona.

Em seguida, procuramos entender comportamentos e sentimentos ligados à depressão, para lidar com cada etapa. Se existe uma culpa muito forte, por exemplo, iremos trabalhar com ela. O mesmo vale para a raiva, solidão, vícios, e assim por diante.

Vale destacar que, independente de quais sejam as causas da depressão, não existe “receita de bolo” para o tratamento.

A Hipnose Transformacional é uma ferramenta de grande poder, mas nada impede que ela seja usada dentro de uma abordagem multidisciplinar, com medicamentos, terapias, e todas as outras ferramentas que tivermos ao nosso alcance.

O método ideal é diferente para cada um, e encontrar a resposta adequada pode levar algum tempo, mas vencer a depressão é possível - as várias pessoas que já conseguiram são provas disso.

O Movimento Transformacional, por exemplo, tem conteúdos e diversas técnicas para lhe auxiliar a se curar da depressão.

Artigo publicado em:
20-09-2021
foto romanni

Romanni Souza

Criador da Hipnose Transformacional, graduado em psicologia pelo Unipam, e pós graduado em neurociências pela PUCRS. Fundador do Instituto Romanni, com mais de 20 mil pessoas transformadas.

Siga-nos nas redes sociais

instagram bar
logo instituto romanni hipnose
icone atendente
Fale conosco
(34) 9 8408-2180
Siga o Instituto Romanni nas Redes Sociais
romanni cursos