linguagem corporal no trabalho

Como usar a linguagem corporal no trabalho para avançar na carreira

É possível dominar a linguagem corporal no trabalho, e pode ficar tranquilo, pois não será preciso decorar posturas ou olhares milimétricos - basta compreender alguns elementos básicos de conexão humana!

O domínio da linguagem corporal no trabalho traz diversos benefícios: Contribui para uma boa aparência, demonstra confiança, faz as suas afirmações serem sustentadas pelos gestos, cria posturas chamativas e gestos controlados que podem transmitir as mensagens desejadas.

Ganhar controle sobre essa “língua secreta”, no entanto, pode ser bem difícil. Muitas vezes o nosso corpo age de formas que nem percebemos, e em tantas outras desejamos expressar uma coisa mas acabamos transmitindo a mensagem oposta.

Felizmente é possível dominar a linguagem corporal no trabalho, e pode ficar tranquilo, pois não será preciso decorar posturas ou olhares milimétricos - basta compreender alguns elementos básicos de conexão humana, e usá-los para ganhar a atenção e o respeito de colegas, chefes ou subordinados!

Importância da linguagem corporal no trabalho

Existem várias pesquisas da psicologia e da neurociência sobre a importância que a linguagem corporal exerce nas relações humanas, e o ambiente de trabalho não está longe dessa dinâmica.

Já parou para refletir sobre todo o processo em recrutar colaboradores para as empresas, por exemplo? Quais são os parâmetros que os recrutadores avaliam diante de um candidato que eles não conhecem? Como seria visto um candidato que senta desajeitado, fica o tempo inteiro com as mãos no colo e não olha diretamente para o avaliador?

Essa é apenas uma das muitas situações onde a linguagem corporal no trabalho pode ajudar ou atrapalhar as pessoas. Ela terá peso nas contratações, na hora de formar e liderar uma equipe, na disputa por promoções e na negociação com parceiros, fornecedores e clientes.

Como construir a linguagem corporal no trabalho

Confira cinco técnicas para ter domínio sobre a linguagem corporal no trabalho, conectando-se a todas as pessoas ao seu redor!

1. Comece pelos olhos

A primeira técnica é olhar nos olhos da pessoa com quem estamos conversando. Se você olhar nos olhos da pessoa que está falando com você, automaticamente vai aumentar o nível de empatia e de confiança transmitida na conversa.

Mesmo sem entender nada sobre linguagem corporal, você pode diferenciar apenas pelos olhos uma pessoa que está triste, feliz, assustada ou com raiva, por exemplo. Uma grande parte do nosso cérebro é adaptada para ler emoções dessa maneira, mas será impossível aproveitar esse recurso se você não estiver olhando a outra pessoa nos olhos.

Faça isso com tranquilidade - você não precisa encarar a outra pessoa fixamente, apenas procure perceber quando desviou o olhar, e traga-o de volta para a relação.

2. Saiba quando tocar

Para ter um desenvolvimento saudável, todo ser humano precisa de contato físico com seus cuidadores - basta perceber como um bebe vai para o colo da sua mãe e para de chorar em segundos.

Essa relação deixa uma memória física, e por isso o toque é uma ótima estratégia para gerar conexão. É claro que precisamos tocar em partes aceitáveis das pessoas, para evitar um comportamento reativo, bem como para não importuná-las.

Um bom aperto de mãos é o primeiro passo, e nunca irá falhar. Outras partes neutras são o ombro e o cotovelo da pessoa com quem estamos conversando. Toques nessas regiões tem menos chances de ser vistos como invasivos, mas é sempre bom ter muito cuidado para garantir que a outra pessoa está confortável, sobretudo quando estiver falando com alguém do gênero oposto.

3. Fale com os pés e as mãos

A maneira como seus pés estão situados fala muito sobre o foco da sua atenção. Se você olha para alguém, mas deixa os pés virados na direção oposta, indica que deseja sair dali, enquanto os pés na direção dela dizem: estou aqui e eu vou te ouvir até o final.

Dica: Se alguém está tomando seu tempo e você precisa interromper a conversa, experimente virar os pés para longe da pessoa. Há uma grande chance de que ela entenda a mensagem, mesmo se não tiver uma compreensão consciente sobre linguagem corporal no trabalho ou na vida em geral.

As nossas mãos também são formas de nos conectar.

Quando estamos em um local mais aberto e com uma boa divisão de pessoas, por exemplo, fazer um movimento de abertura das mãos permite “atingir” todos eles. Isso é ideal em palestras ou reuniões em que você precisa manter as atenções por muito tempo. Já numa sala fechada, com poucas pessoas, os movimentos devem ser mais restritos, pois se abrir demais pode soar agressivo.

Outra estratégia para lidar com públicos é dividir os espaços onde vai falar em quatro partes, com uma linha separando as pessoas mais próximas das mais distantes, e outra separando os lados direito e esquerdo. Com esse esquema, reveze o seu tempo olhando, se direcionando e gesticulando para cada parte da audiência.

As mãos também servem para enfatizar conceitos: grande, pequeno, perto, longe, puxar, empurrar, opções distintas, conexão, e assim por diante. Quando falar sobre algo do tipo, sempre use as mãos para intensificar a mensagem!

4. Um bom sorriso abre muitas portas

Ao falar sobre linguagem corporal no trabalho, ou em qualquer outro contexto, jamais podemos nos esquecer do sorriso, a nossa ferramenta de ouro na conexão.

A quarta técnica é simplesmente sorrir. Isso acontece porque o ato de sorrir vai gerar mais confiança em quem estiver do outro lado. Se você tiver que pedir informações a duas pessoas na rua, por exemplo, uma que está sorrindo e outra de cara fechada, qual você escolhe? O que está sorrindo, é lógico.

Nós tendemos a nos aproximar desse gesto, portanto use-o para trazer mais pessoas até você.

5. Observe a sua energia

A forma como estamos nos comunicando pode impulsionar ou destruir as palavras. Nosso corpo dirá se há vontade e intensidade em nossas ações, ou se estamos agindo no modo automático - e isso faz toda diferença no espaço de trabalho!

Se damos um “bom dia” energético ou falamos sobre os nossos resultados mostrando ânimo, por exemplo, seremos vistos como profissionais mais dedicados. É algo simples, até meio bobo, mas funciona - e se funciona, deve ser usado!

Conclusão

Para usar a linguagem corporal no trabalho a seu favor não é preciso ser um mestre em comunicação nem entender os significados ocultos de cada gesto específico, basta focar nestes cinco elementos para se conectar às pessoas: olhos, toque, pés e mãos, sorriso e energia.

Concentre-se neles, e perceba como as suas relações atingirão o próximo nível, fazendo você avançar na carreira e conquistar o interesse das pessoas ao seu redor!

Artigo publicado em:
16/03/2022
foto romanni

Romanni Souza

Criador da Hipnose Transformacional, graduado em psicologia pelo Unipam, e pós graduado em neurociências pela PUCRS. Fundador do Instituto Romanni, com mais de 20 mil pessoas transformadas.

Siga-nos nas redes sociais

instagram bar
icone atendente
Fale conosco
(34) 8416-2218
Siga o Instituto Romanni nas Redes Sociais
ASSINE AGORA +
Romanni SouzaTermos de UsoPolitica de Privacidade
© Copyright 2021. Todos os direitos reservados. | Instituto Romanni. CNPJ: 23.476.391/0001-10